Home » CASO DE POLÍCIA » Criança morre nos braços do pai na terceira busca por ajuda em hospital – São Pedro da Aldeia – RJ

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

ScreenShot001Pai de menino de 2 anos disse que médicos apontaram virose e liberaram.Menino foi atendido na UPA de São Pedro da Aldeia, no RJ.

Um menino de 2 anos morreu nos braços do pai após passar mal por duas semanas e ser diagnosticado com virose e alergia em dois atendimentos na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de São Pedro da Aldeia, na Região dos Lagos do Rio. A causa da morte de Yan Moura Oliveira, que aconteceu na madrugada desta segunda-feira (7), ainda não foi confirmada.

“O menino morreu nos meus braços na verdade. Me chamou pela última vez, chorou pra mim e se despediu. Isso não é um ‘troço’ revoltante?”, disse o pai da criança, Douglas Oliveira.

Douglas disse que a ida à unidade na madrugada desta segunda foi a terceira após duas dispensas da pediatria.

“Chegamos lá e não tinha ninguém na UPA. Tinham duas pediatras e não tinha ninguém para atender na hora. Esperei de 10 a 20 minutos e depois veio a enfermeira. Em vez de ficar uma de plantão, estavam as duas dormindo”, afirmou Douglas.

Idas ao médico
Há cerca de duas semanas, Douglas levou o filho para a UPA com febre alta e o corpo empolado. A suspeita dos pais era de zika vírus, mas, segundo o pai do menino, a pediatra de plantão descartou a hipótese e diagnosticou o caso como virose, receitou um remédio e liberou a criança.

“Começou a aparecer umas manchas no corpo dele, pesquisei na internet e tudo constava como se fosse zika vírus. Aí eu corri para o UPA. Chegando na UPA eles disseram que era apenas uma alergia. Aplicaram uma injeção de alergia nele e mandaram dar medicamento dipirona todo dia de seis em seis horas em casa”.

De acordo com o pai, o menino piorou e, neste domingo (6), precisou ser levado novamente à UPA. A criança estava com febre de quase 40º e sentindo dor no corpo. A pediatra teria pedido um exame de sangue e, de acordo com o pai do menino, depois de ver o resultado, ela disse que estava tudo normal e que o paciente poderia voltar para casa.

Durante a madrugada, o estado do menino se agravou e o pai voltou à UPA, mas, segundo ele, o atendimento demorou e o filho não resistiu.

A família da criança ainda pede explicações sobre os diagnósticos.

“Como passa remédio sem saber a causa da doença? Mataram meu neto!” perguntou o avô do menino, Deubelto Gomes.

A família conta ainda que, a todo momento, a equipe médica dizia que o caso não era de internação. Além disso, a UPA ainda não liberou um laudo com a causa da morte do menino.

A UPA de São Pedro da Aldeia é de gestão do Governo do Estado. A Secretaria Estadual de Saúde informou que está apurando o caso.

Fonte: G1 

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail


Categorias