Home » Notícias » Brasil » Rio de Janeiro » Região dos Lagos » Araruama » MODERADORA DO GRUPO JDA DO FACEBOK TERÁ QUE PAGAR R$ 5.000,00 À POLÍTICO POR DANOS MORAIS

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Por conta de uma briga de vizinhos ocorrida em 2013, a moderadora do Grupo de debates Jornais de Araruama, Jaida Mundim, foi condenada nesta quarta-feira dia 01 de novembro de 2017 a pagar ao Vereador Rone Rossi, a quantia de cinco mil reais por danos morais.

Em 2013, a moderadora foi procurada em seu INBOX pela primeira ré, que dizia estar sendo impedida de sair de seu local de trabalho pelo então vereador, apoiador na época do grupo do ex- prefeito Miguel Jeovani, Rone Rossi e sua esposa.

No INBOX, que foi apresentado na íntegra em juízo, a primeira ré solicitava que a moderadora Jaida Mundim, publicasse as suas colocações, o que a moderadora fez na íntegra.

Dentro das colocações da primeira ré, que não compareceu e foi julgada à revelia e também terá que pagar R$ 5.000,00, citações referentes a religião do vereador e da criação de sua filha foram as motivações do processo.

Apesar de ter direito a recurso, Jaida Mundim diz preferir encerrar a questão pagando em juízo e encerrando de vez a contenda.

“Creio que o país hoje vive uma crise tão grave, que ocupar a justiça com questões tão menores e corriqueiras, seria no mínimo falta de noção de minha parte. Cinco mil reais irão sim, me fazer falta, uma vez que sequer ganho isso, mas, tenho certeza que este dinheiro será muito útil ao vereador. O que fiz, foi tentar ajudar alguém que se dizia acuado dentro de seu estabelecimento de trabalho, e não fiz de maneira impensada, uma vez que a citada questão deu polícia e R.O., mas, o juiz julgou, me imputou culpa na questão e eu costumo respeitar as leis. Portanto, de minha parte o assunto está encerrado. Que os cinco mil restabeleça a moral do vereador Rone.”

Este é o segundo processo que Jaida Mundim responde por conta da moderação do grupo. Em 2014, o ex-prefeito Miguel Jeovani, acusado pelo MP de ser o chefe do esquema de fraudes na cidade de Araruama, acusava Jaida Mundim de causar “transtornos psicológicos e problemas” à sua família e solicitava a retirada do grupo JDA do ar, o que conseguiu por nove meses. Jaida Mundim venceu a causa e em sua sentença o juiz André Nicollit diz que: “Trata-se então de um espaço de interesse público e fundamental para participação e debate de cunho político, indispensável ao exercício da democracia”

Hoje, o grupo JDA1 processado pelo réu por fraudes, abuso de poder, improbidade administrativa, atos administrativos e dano ao erário, Miguel Jeovani, existe apenas como arquivo contando com mais de 10.000 integrantes e o JDA 2, aberto em 2014, conta com quase 22.000 integrantes com mais de seis mil pessoas esperando adição ao grupo.

O vereador Rone Rossi foi reeleito em 2016 com o total de 1.436 votos.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail



Categorias