Home » Notícias » Brasil » Rio de Janeiro » Região dos Lagos » Iguaba Grande » Mortandade de peixes em Iguaba Grande, RJ, revolta moradores

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

peixes mortosProlagos afirma que nenhuma alteração na água foi detectada. Moradores desconfiam que despejo irregular de esgoto tenha sido a causa.

Peixes mortos encontrados nas margens da Lagoa de Araruama, em Iguaba Grande na Região Lagos, causam revolta em moradores da região desde o final da tarde do último domingo (1º), quando foram vistos pela primeira vez. Em seguida, segundo moradores, inúmeros peixes foram vistos boiando em outros diversos pontos da margem da lagoa.

A causa da mortandade ainda não foi esclarecida. Moradores suspeitam que o problema pode estar relacionado ao grande número de turistas que passaram as festas de fim de ano na região, o que pode ter aumentado muito o despejo irregular de esgoto na lagoa.

Para o morador Paulo Fernando Silva, o cenário causa tristeza, já que os peixes poderiam ser aproveitados por pescadores: “É coisa que os pescadores poderiam aproveitar muito, mas aí a situação”, lamentou ele.

O problema se estende por outros pontos da Lagoa de Araruama. No bairro Praia Linda, que fica em São Pedro da Aldeia, mais peixes mortos foram encontrados.

A empresa responsável pelo esgotamento sanitário na Região, a Prolagos, em nota, disse que faz vistorias diárias nos sistemas de coleta e tratamento de esgoto em todos os municípios que tem concessão e que não foi detectada nenhuma alteração nos sistemas.

Afirma ainda que o monitoramento da Lagoa Araruama é de responsabilidade do Comitê de Bacias, Consórcio Intermunicipal Lagos São João (CLSJ), do Instituto Estadual do Ambiente (INEA), e das Secretarias Municipais de Meio Ambiente. Durante vistoria, de acordo com empresa responsável pelo esgotamento sanitário, o município de São Pedro da Aldeia identificou que os peixes mortos são provenientes de descarte irregular, ou seja, sem valor comercial.

A Prolagos declara ainda que investiu R$ 609 milhões em saneamento básico, fazendo com que, segundo ela, o índice de atendimento em coleta e tratamento de esgotos saltasse de 0% para 77% nos municípios da área de concessão, evitando o lançamento de cerca de 70 milhões de litros de esgoto por dia no meio ambiente. Este índice, de acordo com a empresa, é superior ao previsto na meta contratual para o período que é de 70%.

tópicos:

Fonte: G1 

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail


Categorias