Home » Notícias » Corrupção » PF apreende documentos e investiga fraudes na Câmara de Macaé, RJ

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Agentes cumpriram 5 mandados de busca e apreensão nesta sexta (15).Somados, valores dos processos investigados chegam a R$ 3,8 mi.

macaé

A Polícia Federal cumpriu cinco mandados de busca e apreensão nesta sexta-feira (15) na Câmara de Vereadores de Macaé, no interior do Rio. A investigação é um desdobramento da Operação “Marco Zero”, deflagrada no final de 2014, que apurou fraudes na prefeitura de Carapebus.

De acordo com o delegado da Polícia Federal em Macaé, Felício Laterça, foram apreendidos documentos de sete processos licitatórios, que, somados, somam a quantia de R$ 3,8 milhões.

Os mandados foram expedidos pela 1º Vara Criminal da cidade. No inquérito, a Polícia Federal identificou sete processos licitatórios com indícios de fraude, que era realizada restringindo a competitividade da competição e direcionando para empresas pré-determinadas.

A Polícia afirma que, para isso, um jornal local publicava os dados da licitação no caderno de classificados, sem atender aos requisitos legais exigidos para publicidade desses atos.

Segundo a PF, o objetivo das ações é identificar as empresas vencedoras das licitações suspeitas e seus respectivos representantes, além de servidores públicos e agentes políticos que possam ter participação nos atos.

“Com essa apreensão, a investigação toma outro rumo. Com os documentos, pode-se identificar quem participou da licitação, as empresas que entraram no certame ilegal e a possibilidade de envolvimento de algum político”, declarou o Delegado Felício.

Os documentos apreendidos serão analisados para apurar a possibilidade de fraudes, além de possíveis crimes de associação criminosa e peculato.

Em nota, a assessoria de comunicação da Câmara de Vereadores de Macaé informou que atendeu os agentes e disponibilizou todos os documentos requisitados, sobre licitações realizadas entre 2011 e 2013.

A Casa Legislativa afirmou, ainda, que atua de forma transparente e que todos os seus processos tramitam de acordo com a lei.

Operação Marco Zero
As ações cumpriram mandados de busca e apreensão de processos licitatórios com graves indícios de fraudes. A operação da PF ocorreu em conjunto com a Controladoria Geral da União.

Segundo a delegacia, a maioria dos processos eram referentes à cimpra de medicamentos em excesso, realização de obras de baixa qualidade superfaturadas e prestação de serviços sem comprovação, usando verbas federais.

Fonte: G1

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail


Categorias