Home » Notícias » Brasil » REVENDO HOJE O IMPEACHMENT DE FERNANDO COLLOR DE MELLO | Jaida Mundim

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Hoje, é um dia histórico.

Aconteça o que acontecer, mudanças drásticas virão.

O povo vai pra rua, espero sinceramente que os raivosos, de ambos os lados, sejam minoria, quero ver a democracia sendo feita nas ruas, espero que as pessoas estejam preparadas para entender, espero que estejam preparadas para aceitar ou discordar, mas, de maneira pacífica.

Hoje a Rede Globo de Televisão alcançará todos os Records de audiência…

Amigos…

Ambos os lados, que nem são dois, são três, os petistas radicais, os anti-petistas radicais, e as pessoas que apenas querem perder a vergonha de ser Brasileiro.
Porque, tá de dar vergonha…
Que todas as energias das crenças, que pregam pelo bem do nosso país se unam em oração, hoje é o passo mais importante do resto da caminhada da nossa história…
Boa sorte para o Brasil!

REVENDO HOJE O IMPEACHMENT DE FERNANDO COLLOR DE MELLO

Eu acho interessante rever aquele momento e rever também o quanto eu fui manipulada naquele época… Não tínhamos internet, a opção “menos pior”, que considerávamos o máximo, era a Globo.

“O impeachment de Collor se desenvolveu ao redor do processo de impeachment contra o então presidente brasileiro Fernando Collor de Mello. O empresário Paulo César Farias foi tesoureiro de campanha de Fernando Collor de Mello e Itamar Franco, nas eleições presidenciais brasileiras de 1989. Foi a personalidade-chave que causou o primeiro processo de impeachment da América Latina, em 1992. O processo, antes de aprovado, fez com que o presidente renunciasse ao cargo em29 de dezembro de 1992, deixando-o para seu vice Itamar Franco. Mesmo assim, os parlamentares reunidos em plenário para a votação do impeachment, decidiram que o presidente não poderia evitar o processo de cassação, pela apresentação tardia da carta de renúncia.’ Collor ficou inelegível durante 8 anos. Acusado por Pedro Collor de Mello, irmão do presidente, em matéria de capa da revista Veja, em 1992, Paulo César Farias seria o testa de ferro em diversos esquemas de corrupção divulgados de 1992 em diante.
Em valores atuais o “esquema Paulo César” arrecadou, exclusivamente de empresários, o equivalente a US$ 8 milhões em dois anos e meio do governo Collor (1990-1992). Nenhuma destas contribuições teve qualquer ligação com benefício ao “cliente” de Paulo César por conta de favor prestado por Fernando Collor. O “esquema PC” movimentou mais de US$ 1 bilhão dos cofres públicos. Jamais apareceu qualquer prova de que PC Farias fosse ligado ao narcotráfico”

FONTE: WIKIPÉDIAScreenShot002

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail


Categorias