Home » CASO DE POLÍCIA » Sistema de Prefeitura é invadido e hackers bloqueiam 5 mil arquivos em Rio das Ostras – RJ

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

hackersCaso, que pode ser tratado como extorsão, foi em Rio das Ostras, no RJ. Arquivos da Secretaria de Fazenda da cidade haviam sido copiados.

Hackers invadiram o sistema da Secretaria da Fazenda da Prefeitura de Rio das Ostras, na Região dos Lagos do Rio, roubaram informações e pediram dinheiro para devolver os dados. Segundo a Prefeitura, cerca de 5 mil arquivos foram bloqueados e o sistema precisou ser interrompido desde a última sexta-feira (4), sendo restabelecido apenas nesta quarta-feira (9).

De acordo com o subsecretário de Tecnologia da Informação, Vinícius Marins, os hackers aplicaram um programa conhecido como fishing, que deixou a rede desprotegida e, em seguida, invadiram o sistema e bloquearam os arquivos.

“Nenhuma informação foi vazada, copiada ou apagada. Ela foi criptografada, ou seja, se manteve lá de uma forma não acessível. O usuário, o contribuinte e o funcionário da Prefeitura pode ficar tranquilo”, esclareceu o subsecretário, informando ainda que eles vão procurar melhorar a segurança do sistema.

Outras prefeituras e instituições financeiras têm sido alvo desse golpe chamado de ‘sequestro virtual’.

“Isso é exatamente sequestro de informações. O objetivo de quem criou a aplicação foi fazer com que os dados foram bloqueados e houvesse um pagamento de resgate por essa informação”, explicou Vinícius.

No sistema de Rio das Ostras, as informações já estavam copiadas antes de serem roubadas, o que minimizou os danos.

“Como aconteceu na sexta, no final da tarde, a gente interrompeu por segurança da informação para examinar o que tinha ocorrido na rede e também manter as provas intactas do ocorrido. Hoje, todas as informações foram restabelecidas para a pasta do usuário sem prejuízos”, finalizou o subsecretário de TI.

Ainda segundo a Prefeitura, uma equipe está levantando todos os dados sobre essa invasão. Um relatório sobre o caso vai ser produzido e, quando for finalizado, deve ser entregue na 128ª DP. Segundo a delegada responsável, o caso poderá ser investigado como extorsão.

Fonte: G1

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail


Categorias