Home » Notícias » Brasil » Rio de Janeiro » Região dos Lagos » Araruama » UPA DE ARARUAMA ADERE AO PROTOCOLO DE MANCHESTER PARA ATENDIMENTOS

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Sistema de critério de gravidade está sendo implantado na unidade.
Equipe de enfermagem será a responsável por indicar riscos do paciente.

A Prefeitura de Araruama, na Região dos Lagos do Rio, informou que está implantando um novo sistema de atendimento na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade. De acordo com o município, será instalado o Protocolo de Manchester, um sistema de classificação de risco que busca dar um atendimento em menor tempo aos casos de maior gravidade.

Este critério classifica cada caso de atendimento por cores de níveis de gravidade. O vermelho refere-se à emergência; o amarelo a atendimentos de urgência; o verde, que se refere a atendimentos de pouca urgência; e a cor azul, que representa atendimentos não urgentes.

O Protocolo de Manchester foi elaborado com o objetivo de priorizar o atendimento ao paciente conforme seu risco clínico e não por ordem de chegada.

De acordo com o diretor da unidade, o médico Flávio Felicíssimo, com essa nova metodologia, o serviço dinamizará o fluxo de atendimento.

“Com esse novo protocolo de atendimento, nós avançaremos e agilizaremos o atendimento, reduzindo o tempo para identificação e triagem das ocorrências que chegarem à Upa”, explica o diretor.

O processo de triagem, a partir dessa modificação, será realizado por um profissional de enfermagem com a devida capacitação para atender aos requisitos desse novo protocolo, otimizando o fluxo e a identificação das necessidades emergenciais.

Ultrapassado o tempo previsto sem que o atendimento aconteça e havendo sensação de piora dos sintomas, o paciente pode ser reavaliado e reclassificado caso seja constatado o agravamento de seu quadro clínico.

Procurada pelo G1 para saber a partir quando os atendimentos serão feitos de acordo com a nova metodologia, a Prefeitura não respondeu até o fechamento da reportagem.

Como funciona?
A identificação é feita pela equipe de enfermagem da unidade, que é formada por profissionais preparados para orientar os pacientes. Após a avaliação, os Boletins de Atendimento Médico já recebem cores que identificam o grau de risco:

Vermelha: indica risco altíssimo, com necessidade de atendimento imediato, tendo prioridade entre os demais. A previsão é de que o atendimento aconteça em até 10 minutos.

Amarela: significa urgência e demanda atendimento rápido, que deve acontecer em até 30 minutos.

Verde: indica menor urgência, casos em que o paciente pode aguardar atendimento. Nesta situação, o atendimento pode acontecer no prazo de 120 minutos.

Azul: indica paciente sem urgência, aqueles que poderiam ser atendidos nas Unidades Básicas de Saúde (UBS). Nestes casos, o atendimento pode ser realizado em até 240 minutos.

Fonte: G1

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail


Categorias